Início / Cidades / Equipamentos de guerra serão usados dentro de presídios do Amazonas durante revista

Equipamentos de guerra serão usados dentro de presídios do Amazonas durante revista

Manaus – Equipamentos utilizados pelo Exército Brasileiro para localizar minas e até tanques de guerra enterrados serão usados por militares do 2°Grupamento de Engenharia do Comando Militar da Amazônia (CMA) a partir se agora, durante as revistas nas unidades prisionais, em Manaus. De acordo com o comandante do Grupamento, coronel Eduardo Moura Gomes, as equipes são altamente treinadas e aguardam comunicado oficial para entrar em ação.

A primeira vez que os equipamentos foram usados na penitenciária foi em julho de 2015 (Fotos: Carla Albuquerque)

Os detectores de metal ou mina já foram utilizados duas vezes durante revista no Complexo Penitenciário Anisio Jobim (Compaj) em 2015 e, no início deste ano, após o massacre que resultou na morte de 56 presos somente na unidade prisional.

A última inspeção, feita com apoio da Polícia Militar e agentes da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), foi realizada somente na área do regime semiaberto, mas foi capaz de detectar mais de 300 objetos ilícitos,  entre terçados, facas, barras de ferro, celulares entre outro objetos ilícitos.

De acordo com o coronel do Exército, os detectores de metal são de fabricação australiana e capazes de detectar da menor peça de metal, como uma simples agulha, ou até mesmo um tanque enterrado. Os aparelhos são confeccionados para encontrar tanto objetos em solo quanto submersos.

O equipamento foi apresentado na manhã desta quinta-feira

“Estamos esperando o comunicado oficial para podermos iniciar as atividades. Temos homens bem treinados e já atuamos, eu mesmo, em operações em vários lugares do mundo como Haiti, Angola, Colômbia, Equador, Peru e na América Central”, disse o coronel.

O Secretário de Administração Penitenciária (Seap), tenente-coronel Cleitman Rabelo, informou que para tentar impedir que, após a retirada desses objetos das unidades prisional, eles voltem a entrar nos presídios, a fiscalização será redobrada. De acordo com ele, agentes já foram substituídos e até presos por compactuarem com a facilitação na entrada de instrumentos ilícitos nas prisões.

“A gente não pode dizer que são somente os agentes que atuam nessa facilitação, mas já conversamos com a empresa para muitos sejam substituídos e não apenas remanejados, porque isso não adianta. Além disso, vamos fiscalizar e procurar corrigir o que está errado”, afirmou o coronel.

Entrada do Exército

A atuação das Forças Armadas nos presídios do país foi anunciada no último dia 18, pelo ministro da Defesa, Raul Jungmann. Ao todo, foram liberados cerca de mil homens do Exército, Aeronáutica e Marinha. Eles deverão atuar somente durantes as revistas e não terão nenhum acesso aos presos.

>>>D24AM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by keepvid themefull earn money