Início / Cidades / Reunião com pescadores de Manacapuru discute medidas contra decreto que acaba com seguro defeso

Reunião com pescadores de Manacapuru discute medidas contra decreto que acaba com seguro defeso

Pescadores do município de Manacapuru, no interior do Amazonas, participaram hoje (sábado 28) de uma reunião convocada pela Federação dos Pescadores do Amazonas (Fepesca-AM). A reunião aconteceu na quadra de ciranda Flor Matizada e reuniu mais de dois mil trabalhadores da pesca.

“Chegou a hora dos deputados e senadores mostrarem que estão realmente ao lado dos pescadores”, frisou Walzenir Falcão

Manacapuru é um dos municípios com maior produção de pescado no Amazonas, contribuindo para o abastecimento das feiras e mercados da Região Metropolitana de Manaus.

A reunião foi comandada pelo presidente da Confederação Nacional dos Pescadores (CNPA), Walzenir Falcão, e pelo presidente da Colônia dos Pescadores de Manacapuru (Z-9), Marcos Bindá. O encontro teve também a participação do prefeito de Manacapuru, Beto Dângelo, e de representantes de órgãos ligados ao Governo Federal.

No encontro com pescadores, Walzenir Falcão explicou quais medidas estão sendo tomadas pela CNPA e pela Fepesca-AM para anular o decreto federal que acaba com seguro defeso em todo País.

Segundo Walzenir, uma nova mobilização nacional de pescadores irá acontecer em Brasília e exigirá do presidente Michel Temer a anulação do decreto que modifica as regras do seguro defeso. “Será uma mobilização ainda maior que a realizada em novembro do ano passado, quando levamos mais de cinco mil pescadores para o Congresso Nacional”, prevê Walzenir.

A nova mobilização também buscará apoio de um número maior de deputados federais e senadores em defesa dos pescadores. “Chegou a hora dos deputados e senadores mostrarem que estão realmente ao lado dos pescadores. Chegou a hora de defender os milhares de trabalhadores da pesca do Brasil”, acrescentou Walzenir.

A reunião em Manacapuru também abordou o atraso na liberação das Carteiras do Pescador (RGP) por parte do INSS. O documento é fundamental para os pescadores exercerem legalmente a profissão.

O presidente da Colônia de Pescadores de Manacapuru, Marcos Bindá, disse que centenas de pescadores do município estão com as carteiras da pesca atrasadas. Segundo Marcos, o atraso acontece devido a falta de funcionários do INSS para processar os dados dos pescadores.

“Estamos cobrando do INSS mais agilidade no processamento e liberação dos documentos dos pescadores”, afirmou Marcos. “Os pescadores não podem ser penalizados pela incompetência e burocracia de órgãos do Governo Federal”, criticou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by keepvid themefull earn money