Início / Economia / Rio Preto da Eva avança na implantação da Nova Matriz Econômica Ambiental

Rio Preto da Eva avança na implantação da Nova Matriz Econômica Ambiental

Com um volume de produção de pescado, em torno de cinco mil toneladas, ao ano, o município de Rio Preto da Eva  (a 79 quilômetros de Manaus) deu um novo passo rumo ao crescimento do setor primário.

No último sábado (21), o Governo do Amazonas, por meio da Secretaria Estadual de Produção Rural (Sepror), assinou um Acordo de Cooperação Técnica com a Prefeitura do município para a elaboração do planejamento estratégico de desenvolvimento agropecuário junto à Nova Matriz Econômica Ambiental.

A assinatura do Termo aconteceu na Secretaria Municipal de Educação do município e contou com a participação de representantes de órgãos estaduais e municipais do setor primário e produtores rurais. Entre as tratativas do Acordo está o apoio no fomento e na assistência técnica de projetos que visam impulsionar o trabalho dos produtores rurais na cidade. Além disso, o acordo prevê a criação de um Centro de Alevinagem em Rio Preto da Eva e a transformação da Estação de Balbina em um Centro de Tecnologia e Produção de peixes.

O trabalho vai contar com o apoio dos órgãos que compõem o sistema Sepror, como a Secretaria Executiva de Pesca e Aquicultura (SEPA); Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (ADAF);Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (ADS) e do Instituto de Desenvolvimento Agrário e Florestal do Amazonas (Idam).

“Essa é uma iniciativa importante e estamos fazendo um esforço entre o Governo do Amazonas montando uma parceria promissora junto a Prefeitura de Rio Preto da Eva. E essa parceria envolve o setor público e privado com a participação da Embrapa, que tem concedido suas tecnologias. Queremos fortalecer, dessa maneira, as produções da piscicultura e fruticultura no contexto da Nova Matriz Econômica no município, que é exemplo na produção desses segmentos”, explicou o secretário da Sepror, Hamilton Casara.

Segundo o Idam do município, cerca de R$ 150 milhões do Produto Interno Bruto (PIB) da cidade são oriundos do setor primário. A cidade tem em torno de 50% da população residindo na zona rural e possui uma seara econômica promissora nos polos da fruticultura e piscicultura, conforme enfatiza o gerente do Idam local, Frade Junior.

“A produção de laranja passa de 1,5 mil hectares de áreas plantadas, chegando a 150 milhões de frutos ao ano. Só a laranja representa uma receita bruta de R$35 milhões para o município. Já a piscicultura responde por R$32 milhões, a produção de grama por R$30 milhões, e a banana R$27 milhões. Rio Preto é um município agrícola e nada melhor do que dar o pontapé inicial nesses trabalhos da Nova Matriz”.

Frade lembra que outra frente de trabalho já executada no município foi a mecanização. Atualmente, Rio Preto da Eva possui 600 hectares de terras mecanizadas com o uso do calcário, o que viabiliza mais celeridade no desenvolvimento de diversas culturas agrícolas. “Fomos o município que teve o maior destaque na mecanização do Estado. Conseguimos no ano passado elaborar vários projetos e mecanizar áreas da agricultura familiar que ajudou o produtor a melhorar suas plantações de açaí, banana, entre outras”.

Cadeia produtiva- Rio Preto da Eva, que tem em média mil produtores de piscicultura e fruticultura, é um dos maiores fornecedores de laranja e banana para as feiras e mercados de Manaus. Segundo o prefeito Anderson Souza, o agronegócio será incentivado neste ano para fomentar a cadeia produtiva do município.

“Estamos com uma equipe do município trabalhando com a equipe do (Governo) do Estado em um projeto produtivo para lançarmos, em breve, para que, assim, os bancos possam de fato trabalhar as nossas feiras, como a da Piscicultura, que vai acontecer em março. Além dela, temos a (feira) da laranja que vai acontecer em julho, e a feira da banana que será em outubro. São eventos que vão dar uma força no agronegócio e que os agentes financeiros, como os Governos do Estado e Federal, estarão presentes para que possamos melhorar e ter uma independência na produção de alimentos”.

Alevinos-  Durante a reunião com os representantes, a Sepror distribuiu 90 mil alevinos de tambaqui para impulsionar o trabalho dos pequenos produtores da localidade. Para os agricultores as ações desenvolvidas  devem retomar o crescimento em suas propriedades, conforme afirma o piscicultura Antônio Silva. “Esse apoio ajuda muito nossa produção porque faz a gente crescer no trabalho. Estou no ramo há cinco anos e pretendo abrir mais tanques e se tornar um grande produtor rural. Mas pra quem começou do zero já está um bom encaminhamento”.

Ao receber os alevinos, o produtor Amauri Farias, 61, disse que vai retomar os trabalhos no Ramal São Benedito, a 5 quilômetros da Sede do município. “Nossa esperança é sair dessa crise e buscar melhorar meu trabalho porque não está fácil. Foi bom receber essa ajuda, mas vamos aguardar também as outras ações que estão planejando para ajudar a gente”.

Matriz econômica  – A Nova Matriz Econômica Ambiental está contemplada no pacote de R$ 950 milhões que o Governo do Estado tem em caixa para investimentos, neste ano, oriundos de empréstimos junto ao Governo Federal. O recurso deve viabilizar o desenvolvimento de projetos na capital e no interior voltados para a área de agricultura, infraestrutura e piscicultura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by keepvid themefull earn money